Páginas

sábado, junho 24, 2017

Cineasta Geraldo Junqueira

Acima o cineasta Junqueira e abaixo o
o corretor de imóveis Laércio Luongo

Cineasta morto em 22 de setembro de 1960, Geraldo Junqueira, até os dias atuais a polícia não esclareceu o assassinato. Apesar das torturas e prisões aleatórias feitas pela Polícia Civil, entre as quais de Laércio Luongo e Jacó Bastos, este último chegou a confessar o assassinato mas, a polícia não encontrou nada que o ligasse ao crime.

Bem nascido, Junqueira era filho de tradicional família paulista que depois migro para Poços de Caldas, no sul de Minas Gerais. O cineasta era polêmico em seus documentários, sendo seu trabalho mais enfático o drama humano e violento dos habitantes e animais do Pólo Norte. Acredita-se isso à conta de algum poderoso insatisfeito. O documentário " KIRONGOZI, o Mestre e o Caçador" faz denúncia sobre os modos cruéis dos caçadores para com os bichos da região.

O assassinato
Laércio Luongo em leito de 
hospital morto, provavelmente
pelas torturas

O misterioso assassinato aconteceu no então isolado loteamento no Morumbi (hoje bairro nobre) na época em que era pouco iluminado e ainda pouca habitação sendo também em terra batida. Aos 30 anos, Junqueira encontrou a morte em uma quinta-feira, sendo seu corpo encontrado logo no dia seguinte. Havia marca de pneus de carro no local do crime, e o luxuosos automóvel do cineasta, um Dauphine, fora localizado no Jardim Europa, há 8 quilômetros de distância do Morumbi. Ou seja, segundo a delegacia de homicídios, o cineasta foi espontaneamente até o Morumbi com o criminoso.

Foram anos de investigações, torturas e vários suspeitos interrogados. Mas, nada de encontrar o assassino de Junqueira. Todos passaram por polígrafo trazido pela família do morto diretamente dos Estados Unidos da América, especialmente de Nova Iorque. O norte-americano, famoso, George Wooley, a maior autoridade na época, examinou um a um dos suspeitos e o veredicto: " Inocentes, eles falam à verdade.

Todos os esforços para encontrar o (os) assassinos do cineasta encontrava eco no porão do DEOPS (Delegacia de Ordem Pública Social), que cedeu os aparelhos de tortura desde os Cavaletes (Pau de Arara) para pendurar os suspeitos de cabeça para baixo até às máquinas de choques elétricos.

Jacó, 32 anos, não suportou, e logo, confessou o crime de Junqueira. Já o corretor de imóveis Luongo, 30 anos, casado e pai de dois filhos pequenos, jamais cedeu às cessões de tortura. Ele suportou por uma semana de tortura, sendo levado às pressas ao hospital, veio a morrer dias depois nos braços de ma~e. Seu corpo estava coberto por marcas de torturas. Para disfarçar, melhor tentar justificar os ferimentos, a Divisão de Homicídios da Cidade de São Paulo, disse que " Laércio Luongo havia capotado o carro". A mentira durou pouco e a verdade veio à tona.

Em depoimento no ministério público, Jacó Bastos disse que confessou a sua participação no crime para não mais ser torturado. Disse também que, nem ele nem Luongo mais tiveram algum tipo de contato com o cineasta, conforme afirmara a Polícia Civil. Resultado: até a data desta matéria, o criminoso continua solto. O então, morreu de forma natural sem ser perturbado pelas autoridades. (Francisco Martins com Edson Flosi, em 13\11\1980).


terça-feira, junho 20, 2017

Daniel Day-Lewis pega o mundo do cinema de surpresa

Ator Daniel Day-Lewis pega o mundo do cinema de surpresa e diz "Estou aposentado como ator a partir de hoje". 

Daniel Day-Lewis, um dos mais consagrados atores de Hollywood, sendo três vezes vencedor do Oscar, informou que deixará de atuar. A notícia foi publicada nesta terça-feira 20, dando fim a uma célebre carreira no cinema que inclui atuações magistrais pro exemplo em “Lincoln” e “Gangues de Nova York”.

Ele é o único homem a vencer três estatuetas do Oscar como ator principal, não deu mais informações sobre sua brusca decisão, chamando-a de caráter particular.


“Daniel Day-Lewis não estará mais trabalhando como ator”, disse sua assessora, Leslee Dart, em comunicado. “Ele está imensamente grato a todos seu colaboradores e espectadores durante os muitos anos.” O comunicado foi curto e grosso : " não haveria mais comentários".


Como presidente norte-americano
Lincoln

O ator completou  60 anos no mês de abril, tem mais um filme sendo realizado, “Phantom Thread”, todo ambientado no mundo da moda de Londres na década de 1950 e deve ser lançado em dezembro.


Day-Lewis, nasceu no Reino Unido e possui cidadania anglo-irlandesa, venceu seu terceiro Oscar como ator principal após interpretar o presidente dos Estados Unidos Abraham Lincoln em “Lincoln”. Ele venceu anteriormente a premiação da academia por “Meu Pé Esquerdo” (1989) e “Sangue Negro” (2007) e foi indicado por sua atuação em “Gangues de Nova York” (2002) e “Em Nome do Pai” (1993). Francisco Martins). 

sábado, junho 17, 2017

Morre diretor John Avildsen, de 'Rocky'

Diretor John Avildsen, de 'Rocky' e 'Karatê Kid', morre aos 81, diz mídia californiana. 

O cineasta John Avildsen, vencedor do Oscar por "Rocky" e diretor de outros filmes, como "Karate Kid", morreu aos 81 anos, em Cedars-Sinai, Medical Center, em Los Angeles, Califórnia, USA. noticiou a mídia nesta sexta-feira, 16.

Cineasta norte-americano, vencedor do Oscar de melhor filme e melhor diretor de 1977 por Rocky, e reconhecido também pela produção da série de filmes Karate Kid. Nasceu em 21 de dezembro de 1935. No início de careira foi assistente de realização para Arthur Penn ou Otto Preminger.
O cineasta morreu quando sua carreira era celebrada por um documentário com um título que a resume na perfeição: King of the Underdogs (“O Rei dos Fracos e Oprimidos”).

Além dos já citados, ele dirigiu Peter Boyle em Joe (1970), Susan Sarandon teve um dos seus primeiros papéis; e Jack Lemmon vencera o Oscar como um homem de negócios numa encruzilhada moral em “Sonhos do Passado” (1974).

sexta-feira, junho 16, 2017

Cine Denoy de Oliveira: bons filme até outubro

Cine-Teatro Denoy de Oliveira apresenta mostra de cinema que dará “uma volta ao mundo em 30 filmes. 
. Nikolai Oklopkov, Andrei Abrikosov em
Valentina Ivasjova, URSS

30 dias, 30 filmes e 23 países. Essa é a proposta da nova mostra de cinema do Cine-Teatro Denoy de Oliveira, situado no coração do Bixiga, para as noites de quarta-feira. O convite é para dar, literalmente, uma volta ao mundo conhecendo o que há de melhor no cinema de cada um dos quatro cantos da Terra.  Mostra segua atpe 11 de outubro, sempre pontualmente às 19 horas. 

Confira os filmes selecionados:

(21/06) ALEKSANDR NEVSKY 

Serguey Eisenstein (1938), com Nikolay Cherkassov, Nikolay Oklopkov, Valentina Ivasjova. URSS, 108 min. Na primeira metade do século 13, o príncipe Aleksandr Nevsky organiza um exército popular que derrota a invasão dos ancestrais das hordas hitleristas. Com trilha musical de Serguey Prokofiev o filme foi cuidadosamente restaurado em 2015.

(05/07) A FILHA AMERICANA 
Karen Shakhnazarov (1995), com Vladimir Mashkov, Dzhigarkhanyan Armen. Rússia, 94 min. Abandonado pela mulher que decide viver com americano rico no país do Tio Sam, músico russo vai ao seu encontro, dez anos mais tarde, visando restabelecer os laços com a filha pré-adolescente.

(12/07) O DESTACAMENTO VERMELHO DE MULHERES 
Xie Jin (1960), com Qiang Chen, Niu Tie, Xin-Gang Wang. China, 74 min.
Wu Qionghua, serva de Nanbatian (literalmente, "o tirano do Sul"), foge para a selva, entra no Exército Vermelho e se junta à tropa feminina que opera na Ilha de Hainan. Baseado em episódio real da 1a. Guerra Civil Revolucionária na China (1927-37).

(26/07) O VAGABUNDO 
Raj Kapoor (1951), com Raj Kapoor, Nargis, Prithvirage Kapoor. Índia, 193 min.
Raju vive pobre e afastado da família. Acaba enveredando pelo caminho do crime. É preso e só conta com a ajuda de uma ex-namorada, sua defensora no tribunal. Seu pai, o juiz que decidirá sua sentença, crê que os bons e os criminosos já nascem feitos.

(02/08) A PEQUENA LOJA DA RUA PRINCIPAL
Janos Kadar, Elmer Klos (1965), com Jozef Kroner, Ida Kaminska, Hana Likova. Checoestováquia, 128 min. - Camponês checo se divide entre a ganância e a culpa quando um chefe nazista de sua cidade o nomeia “Supervisor Ariano” da pequena loja de botões de uma viúva judia.
João Miguel e Fabíola Nascimento em 
Estômago


 (06/09) O CASO MATTEI  
Francesco Rosi (1972), com Gian Maria Volonté, Luigi Scarzina, Edda Ferronao. Itália, 116 min. - Em 27 de outubro de 1962, cai o avião que levava o presidente da estatal italiana do petróleo. A investigação oficial considerou acidente, mas a história de Enrico Mattei à frente da Eni e seus confrontos com o Cartel das Sete Irmãs indicam outra conclusão.

(11/10) ESTÔMAGO
Marcos Jorge (2007), com João Miguel, Fabíula Nascimento, Babu Santana. Brasil, 113 min.
Paraibano que chega ao Sudeste usa os dotes culinários para subir na vida. Em novembro de 2015 a produção entrou na lista dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos, feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema.

R. Rui Barbosa, 323 - Bela Vista, São Paulo
Telefone: (11) 3289-7475

terça-feira, junho 13, 2017

Memórias de Minhas Putas Tristes

Tomates Verdes Fritos


A Filmoteca Acreana apresenta nesta semana a Mostra Cinema & Velhice. As exibições serão realizadas de 12 a 16 de junho, sempre às 19 horas, na Biblioteca Pública. A entrada é gratuita. Biblioteca Pública, na Avenida Getúlio Vargas, 389, no Centro de Rio Branco.

Confira a programação completa:

Tomates Verdes Fritos – segunda-feira (12/06), às 19h;
Vênus  – terça-feira (13/06), às 19h;
Amor – quarta-feira (14/06), às 19h;
Memórias de Minhas Putas Tristes – sexta-feira (16/06), às 19h;
Mostra Infantil

Rodência e o Dente de Princesa – segunda-feira (12/06), às 15h;
Castelo Rá-Tim-Bum: O Filme – terça-feira (13/06), às 15h;
Hotel Transilvânia – quarta-feira (14/06), às 15h;
Divertida Mente – sexta-feira (16/06), às 15h;
Pets: A Vida Secreta dos Bichos – sábado (17/06), às 16h.