Páginas

quarta-feira, abril 19, 2017

DVD Os Incompreendidos, de Truffaut

Para o jovem parisiense Antoine Doinel a vida não passa de uma complicação atrás da outra. Cercado por adultos sem consideração, incluindo seus pais que não prestam atenção nele, Antoine passa seus dias com seu melhor amigo, Rene, fazendo planos arriscados para melhorar de vida. 

Quando um de seus esquemas dá errado, Antoine acaba tendo problemas com a lei e vai ter que enfrentar as autoridades que não simpatizam com ele. Produção francesa lançada  em 3 de junho de 1959, dirigido pelo extraordinário  François Truffaut. 

Filme tem como ator principal, Jean-Pierre Léaud, que estreou como ator de cinema  aos  15 anos, no papel de Antoine Doinel, um alter-ego do realizador francês François Truffaut, em Os Incompreendidos. Também, Claire Maurier, Albert Rémy e outros. 

A película foi vencedora do Prêmio Melhor Filme Estrangeiro, pelo New York Film Critics Circle, Melhor Diretor no Festival de Cinema de Cannes e Melhor História original e Roteiro indicado à Academia. 

segunda-feira, abril 17, 2017

Casa Guilherme de Almeida: cursos de cinema grátis

Casa Guilherme de Almeida, realizará dois cursos nos meses de maio e junho sobre a história da sétima arte com os críticos Alfredo Sternheim e Daniel Fontana. As atividades são gratuitas e as inscrições são feitas no site da instituição.  

História do cinema – Ciclo X: o musical e sua evolução estuda o gênero que consagrou o momento em que o cinema se tornou sonoro, em 1927, com O cantor de jazz. Os encontros falam sobre a evolução do musical que possibilitou várias criações marcantes de Hollywood, desde Broadway melodie, ganhador do Oscar de melhor filme em 1930, até La La Land, fenômeno mundial lançado em 2016. A atividade, ministrada pelo crítico Alfredo Sternheim, acontece entre 3 e 24 de maio, quartas das 19h00 às 21h00, e as inscrições podem ser feitas aqui.

Em História do cinema – Ciclo XI: a nova Hollywood o crítico Daniel Fontana explora as mudanças de paradigma na grande indústria cinematográfica a partir da segunda metade da década de 1960. Por meio da análise do momento sociopolítico vivido neste período nos EUA (Guerra Fria), Fontana aborda as mudanças na relação entre público e filmes. Os encontros acontecem entre 7 e 28 de junho, quartas das 19h00 às 21h00. Inscrições aqui.

Alfredo Sternheim é cineasta e crítico de cinema. Escreveu para importantes veículos como O Estado de S. Paulo. Como cineasta, foi um dos mais representativos durante o ciclo da Boca do Lixo, com filmes como Paixão na Praia (1971), Anjo loiro (1973) e Pureza proibida (1974).

Daniel Fontana é designer, com habilitação em Programação Visual, formado pelo Mackenzie. Já atuou com design de impressos, edição de vídeo e ilustração. Crítico de Cinema e de HQ, é sócio-fundador e editor do site Formiga Elétrica, que cobre o universo da cultura pop, incluindo séries e livros.

SERVIÇO:

História do cinema – Ciclo X: O musical e sua evolução
De 3 a 24/5, quartas, das 19h00 às 21h00.
Inscrições gratuitas: http://bit.ly/2oXvPhq

História do cinema – Ciclo XI: A Nova Hollywood
De 7 a 28/6, quartas, das 19h00 às 21h00.
Inscrições gratuitas: http://bit.ly/2oXxovQ

Casa Guilherme de Almeida
Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943
Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391
De terça a domingo, das 10h às 18h.

terça-feira, abril 11, 2017

Homem & Mulher: até certo ponto

Clássico da comédia, dirigido por Michel Sarne, adaptado do livro “maldito” de Gore Vidal, Myra Breckinridge. Extraordinária atuação de todo elenco.


Cansado de sua vida resignada, Myron Breckinridge decide ir à Europa realizar um desejo secreto - fazer uma operação que o transforme em mulher. Quando retorna aos Estados Unidos como Myra, uma mulher que detesta homens e 'viúva' de Myron, vai trabalhar na escola de artes cênicas do tio, Buck Loner, um ex-astro dos filmes de faroeste e conservador na medida certa. 

Mas a chegada da sensual e provocadora viúva vai transformar o lugar em algo muito parecido a um hospício, para total alegria de Myra Breckinridge. Polêmica e renegada adaptação da obra de Gore Vidal, o filme traz no papel da transexual Myra, Raquel West, um dos grandes símbolos sexuais do cinema. ( Francisco Martins)

Elenco:

Raquel Welch
Farrah Fawcet
John Huston

Mae West

quinta-feira, abril 06, 2017

Don Rickles morre aos 90 anos em Los Angeles, USA

Comediante Don Rickles, considerado um mestre do insulto e que fez rir com o deboche e o sarcasmo durante uma carreira de décadas que lhe rendeu o apelido irônico "Senhor Caloroso", . Rickles morreu nesta quinta-feira,6, em sua casa de insuficiência renal aos 90 anos de idade, disse seu empresário.

LOS ANGELES, USA  -  Sua morte foi confirmada por seu porta-voz, Paul Shefrin, que informou que o comediante deixa sua esposa, Barbara, a filha, Mindy Mann, e dois netos. Ele completaria 91 anos no mês que vem.

Nascido em Nova Iorque, ele tinha piadas muito intensas, velocidade no raciocínio  e muitas vezes Rickles improviza.  Também fazia a alegria das plateias de clubes noturnos, da realeza de Hollywood e de políticos ao lançar insultos, mas tudo com muito bom humor.

Ao se encontrar com Frank Sinatra pela primeira vez durante uma apresentação de stand-up em 1957, Rickles saudou o temperamental cantor, que chegava com uma comitiva de tipos durões, dizendo "sinta-se em casa, Frank – bata em alguém".

Os alvos mais frequentes do comediante "Mercador de Venenos" eram os fãs que lotavam seus shows para ter uma chance de ser humilhados sendo chamados de "otário" ou pior. Celebridades compareciam com frequência só pela honra de ser ridicularizadas por Rickles, e nenhuma minoria ou grupo étnico escapava de sua língua ferina. 

Cabeça de Batata e Denis, O Pimentinha

Rickles ganhou um Emmy em 2008, como melhor perfomance em um programa musical ou de variedades, por "Mr. Warmth: The Don Rickles project". Seu último trabalho de maior destaque foi a voz do senhor Cabeça de Batata, nos filmes de "Toy Story". Além dos três Toy Story, ele teve participações em Cassino, de Martin Scorsese; Agente 86; Dennis, o Pimentinha e A Família Buscapé. (AgênciaFM com Agências Internacionais). 

segunda-feira, abril 03, 2017

Morre ator\diretor de teatro Mariozinho Telles

Mariozinho morreu domingo (26). Ele tinha 64 anos e lutava contra um câncer. O corpo do artista foi velado no Teatro Dulcina, no Centro do Rio de Janeiro.


Mariozinho Telles se preparava para estrear no próximo mês de abril, no espaço da Funarte, Romeu e Julieta, de William Shakespeare,e Antígona, de Sófocles. Os dois espetáculos teatrais, adaptados e dirigidos por ele, estão mantidos na programação do Dulcina.


Idealizador da Companhia Teatro de Roda e multiplicador do Teatro do Oprimido, Mariozinho foi também produtor cultural e era considerado um dos grandes nomes do teatro de rua e circense.